Escolhi o curso errado na faculdade, e agora?

qual curso escolher

A situação é mais comum do que possa parecer, mas ainda assim é tratada com um certo receio. Admitir que se fez a escolha de um curso errado, quando estamos falando de uma decisão tão importante quanto a escolha de uma profissão, pode ser motivo de conflito para muita gente. Uma decisão que vai impactar por muitos anos, senão a vida inteira, deve ser analisada com cautela.

Você percebe que existe alguma coisa estranha quando não consegue se contextualizar dentro da sala de aula. O conteúdo que está sendo passado em nada se assemelha com o que você havia pensado. E agora?

É necessário encarar os fatos

O primeiro passo para mudar é reconhecer a escolha do curso errado. De que adianta um diploma na parede? De que adianta levar adiante uma decisão que não está trazendo a realização que você esperava?

Muitos podem ser os motivos responsáveis pela sua escolha. Pode ser que, de fato, você não tenha se identificado com a profissão, tampouco com as disciplinas lecionadas. Outro fator é a dificuldade em conciliar o estudo com o trabalho, ou ainda, por não ter tido informações suficientes sobre o curso, acreditar que encontraria um conteúdo e ser surpreendido com outro.

Seja qual for o seu motivo, não tome isso como tragédia.

Abandonar um curso e decidir por outro já não é mais visto como insegurança e indecisão como era no passado. As empresas veem com bons olhos aqueles exemplos de profissionais que tiveram mudanças satisfatórias na escolha da carreira. Percebem que o profissional tem uma gama maior de conhecimentos para agregar à empresa.

Avaliação pessoal e profissional

Existe uma angústia por parte dos estudantes quando a certeza de estar fazendo um curso errado chega depois de dois, três anos de curso. Muitos pensam o seguinte: se já estou na faculdade há tanto tempo, como posso desistir?

Tudo vai depender dos seus objetivos e seu grau de insatisfação. Se você busca uma realização tanto pessoal quanto profissional, é melhor parar para reavaliar.

  • Reconheça que você não está satisfeito com o curso.
  • Se você gosta da área, mas não se identificou com o curso, mude de curso.

Não se prenda a fatores como idade, não existe prazo de validade em se tratando de conhecimento. Por mais que sua família indique que você deve seguir por um caminho, só você conseguirá decidir.

Teoria e Prática

Não se prenda a fatores como idade e pressão familiar, não existe prazo de validade em se tratando de conhecimento e por maior que seja a expectativa em cima de suas decisões, procure manter o foco.

A prática, muitas vezes, pode ser bem melhor que a teoria.

Uma coisa é ouvir o que todo mundo está falando, outra é perceber como elas funcionam na prática.

Que tal tentar uma atividade reflexiva?

  • Pesquise sobre as matérias do seu curso e veja o nível de seu interesse por elas
  • Considere como está sua vida hoje. Você está passando por um momento atípico?
  • Pense no futuro. Você pode acabar descobrindo que não escolheu o curso errado e um curso complementar ou uma pós-graduação poderão agregar no futuro.
  • Repare atentamente como é o cotidiano do profissional que você deseja se tornar.
  • Mantenha diálogos abertos com seus professores, procure estágios que confirmem o seu pensamento.

Não dê um passo em falso!

0 Comentários

Sem Comentários

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este artigo.

deixar Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *