Novo fungo é descoberto a partir de pesquisa realizada na FSG

A Profa. Alexandra Flávia Gazzoni, Responsável-Chefe do Laboratório de Microbiologia Oral e Patologia Bucal da FSG e líder do Grupo de Pesquisa em Saúde Coletiva da instituição, realizou uma importante descoberta científica: um novo fungo, que até hoje não havia sido catalogado em humanos. Denominado como Exophiala osmophila, o fungo pode causar inúmeras infecções, incluindo a meningite.

A descoberta foi feita nos laboratórios da FSG onde a biomédica, Pós-Doutora em micologia, realiza a pesquisa de Susceptibilidade de Fungos, com o propósito de elaborar uma espécie de cadastro dos fungos existentes no Rio Grande do Sul.

– Uma aluna conhecia a paciente e fotografou a lesão (na unha do pé). A partir disso fizemos três coletas e analisamos. Também enviei amostras para a Universitat Rovira i Virgili (Espanha), parceira nessa pesquisa, e verificamos que não há registros desse fungo causando doença em humanos – explica a professora Alexandra.

A descoberta foi anunciada no último Congresso Latino Americano de Micologia, realizado na Colômbia.

Os próximos passos agora são fazer a análise da susceptibilidade desse fungo aos medicamentos, verificando quais são as doses mínimas e máximas para o combate às infecções.

O impacto dessa descoberta está ligado principalmente à novas descobertas de tratamentos das lesões e até mesmo ao desenvolvimento de novos medicamentos. Além disso, ainda estão sendo desenvolvidas outras pesquisas no laboratório atrelado ao Curso de Odontologia da FSG, sendo estas referentes aos pacientes portadores de bactérias resistentes, bem como àqueles infectados com cândida.

– Conhecendo o tipo de fungo é possível realizar um tratamento muito mais eficaz – explica Alexandra.